Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Maria Ótima

Na cozinha, como na arte não há certo ou errado, há opções práticas, saudáveis e combinações inusitadas, coloridas pois nem tudo o que sabe bem faz mal!

Maria Ótima

Na cozinha, como na arte não há certo ou errado, há opções práticas, saudáveis e combinações inusitadas, coloridas pois nem tudo o que sabe bem faz mal!

"Sinto-me nascido a cada momento para a eterna novidade do Mundo" - Alberto Caeiro

 

 

 

 

 

flamingo-819589_1920.jpg

 

Quebrar a rotina: Proposta para o seu fim de semana.

Que tal pensar em quebrar a rotina. Proponha à família ou a um grupo de amigos um olhar diferente sobre locais que estão mesmo ao seu lado mas sobre os quais passa indiferente.

Estamos a propor-lhe olhar vendo, observando e compreendendo, não só com a visão mas com a sensibilidade e a emoção de quem descobre as raízes que nos estão próximas e que se colam à nossa identidade. Tal como Alberto Caeiro em “O Guardador de rebanhos” nos encanta, sobrelevando a nitidez do olhar e a capacidade de observação, descoberta e de “pasmo”:

 

O meu olhar é nítido como um girassol.
Tenho o costume de andar pelas estradas
Olhando para a direita e para a esquerda,
E de vez em quando olhando para trás...
E o que vejo a cada momento
É aquilo que nunca antes eu tinha visto,
E eu sei dar por isso muito bem...
Sei ter o pasmo essencial
Que tem uma criança se, ao nascer,
Reparasse que nascera deveras...
Sinto-me nascido a cada momento
Para a eterna novidade do Mundo

 

A nossa proposta contempla a zona ribeirinha do Tejo na margem Sul.

Quem se desloca a partir de Lisboa para sul tem, logo a partir da travessia da ponte Vasco da Gama, a possibilidade avistar uma paisagem magnifica.

Os 14 Km da travessia permitem a captação de instantâneos únicos. A incidência do sol sobre os tirantes da ponte, ou o contraste da sua silhueta sobre o céu escuro é por si revelador de verdadeiros momentos de inspiração cinematográfica. Depois, mais adiante, as pequenas embarcações de pesca, os apanhadores de bivalves, os flamingos e as praias fluviais quer do Montijo, antiga “Aldeia Galega” quer de Alcochete convidam à descoberta….

Para além de excelentes restaurantes em que a gastronomia local o vai encantar, tem ainda a hipótese de apreciar a paisagem, fantástica, sobre Lisboa, e observar a avifauna da Reserva Natural do Estuário do Tejo.

Se tiver espirito de aventura e quiser embrenhar-se, a pé pelas zonas de observação e nidificação das aves, informe-se antes, junto do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas e ou da autarquia local. Respeite as regras de condutas dos visitantes, os percursos definidos, e mantenha a distância adequada para não perturbar a tranquilidade das espécies Sugerimos-lhe que se equipe devidamente com calçado adequado e que não esqueça os binóculos, a mochila e o lanche.

Os melhores locais de observação são as zonas húmidas junto às praias do Samouco e dos Moinhos e as antigas salinas. Se tiver sorte vai conseguir observar flamingos, garças, águias, peneireiros-cinzentos, gansos e numerosas espécies de aves aquáticas que frequentam os terrenos alagados.

 

flamingos-167018_1280.jpg

 

Outras propostas que lhe deixamos como locais de interesse a explorar são os moinhos de maré e de vento:

 No Montijo o Moinho de Maré, completamente recuperado, cuja construção data remonta ao Século XVII,. Em Alcochete a Praia dos Moinhos assim chamada por, no areal ter sido construído um moinho de vento para a moagem de cereais, tal como no Barreiro, os Moinhos de Alburrica. Trata-se de três moinhos de vento construídos junto á água e de grande interesse histórico e patrimonial. As Salinas do Samouco e os Moinhos de Marés no Seixal, atualmente transformados em ecomuseus.

Poderá visitar a Reserva a pé, de bicicleta ou de carro, há percursos organizados consoante as opções, pelo Instituto de Conservação da Natureza.. Até ao final deste mês de Outubro pode, ainda, optar por um passeio numa das embarcações típicas que antigamente cruzavam o Rio, transportando pessoas e bens, como as fragatas e os varinos.

Atreva-se, ainda nos cruzamos por aí!

flamingo.jpg